segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

REFRESCOS DO VERÃO QUE NUNCA SAEM DE MODA

                
         

      Olha o picolé! Quem vai querer? De limão, uva, abacaxi, coco, kiwi e até de amendoim. Taí uma boa pedida para o verão, também uma excelente opção para o lanchinho da manhã ou da tarde, que ajuda a manter o corpo hidratado nos dias de altas temperaturas. De acordo com nutricionistas, os picolés de fruta são excelentes, além de não ultrapassarem mais de 60 calorias, são considerados também fontes importantes de hidratação.  
      Essa delícia foi inventada meio por acidente, em 1905, por um menino de 11 anos chamado Frank Epperson. Ele esqueceu um refresco contendo um palito de madeira fora de casa durante uma noite invernal. Pela manhã, ele notou que a bebida e o palito congelaram juntos. Dá para imaginar a surpresa... E o sucesso que fez na época?
      E que tal outro refresco bastante popular super bem-vindo no verão, que surgiu durante a Segunda Guerra Mundial, inicialmente salgado, usado como fonte proteica pelos soldados norte-americanos? Uns o chamam de sacolé, din-din, chupa-chupa, chup-chup, juju, gelinho e suquinho. Aqui no Recôncavo chamamos mesmo é de geladinho.
      A receita simples e barata desse refresco congelado em saquinhos plásticos faz sucesso em todo o Brasil, podendo ser de todos os sabores, naturais ou artificiais. Vale usar frutas da estação para o preparo e incrementar com leite com achocolatado, coco, groselha, amendoim, leite condensado (que deixa a textura mais macia) ou banana.
     Maria das Graças Souza, moradora de São Félix, conhece bem o preparo desse refresco, já tem mais de 20 anos em contato com ele e sabe perfeitamente a preferência dos clientes. “As pessoas procuram mais o de chocolate, amendoim e coco”. Mas ela também já experimentou o diferente: “Fiz de tutti-frutti e meu marido me ajudou a fazer de carambola, e deu muito certo”.  
    Para completar nossa lista de refrescos, vamos para um alimento nutritivo, fonte de proteína, carboidrato e lipídeo. Em sua composição podemos encontrar também o mineral cálcio, devido à presença do leite. Também podemos citar a presença de vitaminas lipossolúveis A, D, E e K e algumas do complexo B. E ai já sabe quem é ele?
     Estamos falando do sorvete. E é provável que essa coisa tão gostosa tenha surgido na China há cerca de 3.000 anos. No início, ele era mais parecido com a atual raspadinha, não levava leite e geralmente era feito com neve, suco de frutas e mel.
     O consumo desses refrescos ajuda amenizar mal-estar em pessoas que estão em tratamento médico, como a quimioterapia, ou em cirurgias para retirada de tonsilas, refluxo gastroesofágico, cirurgias ortodônticas, gastrites, úlcera gástrica duodenal. Além do valor nutritivo, por serem geladas, elas são analgésicos também.   

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

EXPOSIÇÃO PLURAL DE ARTISTA CACHOEIRANO PODE SER VISITADA ATÉ MARÇO

           Ao som da música francesa, interpretada pela cantora Laetitia, foi aberta na noite do dia 07/02 a exposição Plural, do artista Pirulito, no Pouso da Palavra, situado na Praça da Aclamação, em Cachoeira. A exposição reúne 20 quadros de Pirulito que abordam temas distintos, como brincadeiras infantis, natureza e religião. A visitação segue até o dia 5 de março e a entrada é franca.
       “Montei a exposição com intuito da festa de Iemanjá e já estava com essa ideia desde o outro ano, fazer uma exposição temática com Iemanjá, mas tivemos a participação da francesa Laetitia, uma cantora renomada na França, que queria trazer o canto dela pra minha exposição; e também o artista plástico, repentista e poeta Gildemar Sena, que infelizmente não pode comparecer, devido a problemas de saúde. Então essa mistura me fez pensar no tema Plural. Trouxemos dez São Jorges com os fundos diferentes, com a mandala e o azulejo diferentes; cada um com uma releitura. Temos praticamente sete trabalhos novos, como Odo iá!. Em outro quadro tem o Vendendo de bolas, que eu repito em quatro quadrados, mas a roupa, a sandália e as bolas mudam de cor; enfim abordo aí a questão social, que é o trabalho, o ganha pão de um cara que ganha o seu sustento vendendo. Enfim, é uma exposição que aborda temáticas diferentes, por isso Plural”, explica Eraldo Souza Oliveira Junior, ou simplesmente Pirulito.  
Pirulito com a esposa, próximo ao quadro Odo iá!      
      O ex-secretário de Turismo da Bahia, Domingos Leonelli, prestigiou a exposição e achou fantástico o contraste de cores e as mensagens transmitidas nos quadros de Pirulito. “Cachoeira é uma espécie de capital cultural da Bahia, embora sendo uma cidade do interior, mas é uma cidade do interior muito metropolizada, em vista mais tranquila; e é um centro cultural avançado. Essa produção de Pirulito, por exemplo, é muito sofisticada, esses São Jorges mesmo, ou Oxossi, são maravilhosos; têm uma força de expressão que representa bem a arte de Cachoeira e têm um figurativismo  com grande força expressionista, com uma grande capacidade de trabalhar com as cores, até com o preto e branco, que é uma técnica muito especial. Isto é fantástico!”, analisa Leonelli.    
          Ivis Dutra veio com o esposo do Estado de Sergipe passar as férias na Bahia e resolveu fazer uma pequena visita em Cachoeira e acabou se encantando também com o trabalho de Pirulito. “A exposição é muito bacana. Gostei do colorido que mexe bastante com o nosso imaginário. E fiquei impressionada como Cachoeira, uma cidade simples e pacata, tem um acervo cultural tão grande assim, pra mim isso foi uma grande surpresa”.

          Pirulito é um artista autodidata, nasceu em Cachoeira, mas se mudou para São Félix com sua família ainda pequeno. Desde 1980, se apaixonou pela pintura e nunca mais quis dispensar a companhia de seus fiéis pinceis. Em muitas de suas telas, exalta a simplicidade do ser humano, a criança e o lúdico, religiosidade e folguedos, a partir da técnica de pintura acrílica, focando o surrealismo e a arte pop.