segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Tudo pronto para o aniversário de Yole

         Doces de todos os tipos e com quantidade exagerada, casa decorada, convidados chegando e nada, nada de Yole.
        Cadê Yole? Era o que todos se perguntavam, mas as respostas eram dadas de forma diferente para cada um.
         - Está se arrumado.
         - Está chegando da casa da tia Marly.
         - Aconteceu um imprevisto, mas daqui a pouco ela chaga.
        Porém o verdadeiro motivo do atraso, ninguém sabia ao certo. A menina saiu de casa sem que ninguém tivesse notado. O trajeto era misterioso até para a própria Yole. O que fazer, ela sabia bem, entretanto só não tinha a ideia por onde começar.
        Fotografava com os olhos todas as pessoas que passavam por ela, os jardins, as casas, os pássaros e enfim, chagou a imagem que buscava no meio do nada: a paisagem contém uma escadaria que dá acesso ao rio Paraguaçu e avista uma boa parte da Ponte Dom Pedro II. Ao lado da escada, uma árvore dá o clima sóbrio ao local, porém o que mais chamou a atenção da menina foi um pescador que se ativava ao mar, à procura de seu sustento.  
         Yole esqueceu completamente do aniversário de 15 anos. Sentou-se na Praça 25, em Cachoeira, e com o material de pintura nas mãos, voltou todo o seu pensamento para aquela paisagem. Em menos de meia hora já estava tudo pronto. 
        Tomada pela alegria daquela pintura, seguiu para casa, ansiosa para mostrá-la a seus pais. A pintura era a grande paixão da menina, mas ela nunca tinha se dedicado tanto aos seus quadros como fez a esse último.
      Chegando em casa, uma festa. Yole ficou perplexa ao ver a casa cheia de convidados e o evento acabou sendo uma festa surpresa.

Valdelice Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Literando