segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ruas livres de barracas em Cachoeira






Foto: Valdelice Santos

O secretário de agricultura resolveu cumprir o que
manda a Lei Orgânica do Município de Cachoeira

        No sábado (21/08), por volta das 18 horas, o secretário de agricultura do Município de Cachoeira, Carlos Alberto Fraga Lobo, conhecido como Cacai Lobo, acompanhado de uma viatura da Policia Militar, foi verificar se os feirantes tinham comprido a determinação judicial, emitida aos feirantes nesta semana, mas como já era esperado poe ele, as barracas estavam arrumadas do lado do mercado e os feirantes se negavam a retirá-las do local. 
        Após um longo dialogo entre feirantes e o secretário, surgiu a possibilidade deles guardarem suas mercadorias no Mercado do Peixe, no entanto, provisoriamente. Cacai Lobo, por delegação do prefeito Fernando Antonio Pereira, Tato, cumpriu o que está previsto na Lei Orgânica do Município, parágrafo primeiro, inciso – XVI, artigo 79, que determina que todas as barracas armadas no perímetro da feira livre, devem ser desarmadas e retiradas, todos os sábados às 17 horas e só armadas novamente a partir das 06h00min de segunda-feira. Caso o feirante desobedeça tal ordem, fica a prefeitura responsável pela retirada das barracas e os proprietários a pagar uma multa estipulada no valor de 500 reais.
        Os feirantes alegam que não têm lugar para guardar as mercadorias e nem condição de alugar um local para colocá-las, que antes eles guardavam dentro do Mercado Municipal, porém depois da reforma a promotora não quer que guarde mais lá e nem do lado de fora.

        Segundo Cacai, ele é obrigado a cumprir o que determina a Lei, pois o prefeito não aguenta mais reclamação dos moradores do perímetro da feira, os quais alegam que os feirantes deixam a rua fedorenta e suja.
         O secretário disse também que Cachoeira é uma cidade história que recebe muitos turistas e as barracas no meio da rua, deixam a vista da cidade poluída e que já era para ele ter feito isso há muito tempo. Ele falou que marcou várias reuniões com os barraqueiros para discutir o assunto, e poucos foram os que apareceram na reunião e que se eles deveriam se unir para criar uma associação dos feirantes e não querer resolver as coisas individualmente, como vem acontecendo. 
        Um integrante da Polícia Militar (PM) explicou aos barraqueiros que sua presença foi para manter a ordem, caso ocorresse desacato a autoridade eles agiriam, e não como estes imaginavam, que estavam sendo vistos pela polícia como marginais. O soldado disse ainda que sabia que todos ali eram trabalhadores e pessoas honestas e que jamais queria prejudicar alguém.
        Durante a discussão, os barraqueiros e secretário marcassem uma reunião com o prefeito para achar uma solução para o caso.

Um comentário:

  1. Perguntaram-me qual foi o tumulto na feira livre, mas não soube explicar o ocorrido. Agora, com a notícia do Literando com o Recôncavo pude compreender... e vou disseminar!
    Valeu, Val.
    VAI VAL!

    ResponderExcluir

Literando