segunda-feira, 5 de abril de 2010

No balanço do mar

Na dança das águas do mar;

Sol escaldante ou noite serena,

Pode qualquer coisa pegar,

Em busca de alimento, tudo vale a pena.

Rede cheia, rede vazia,

Braços fortes a segurar;

Lances grandes ou pequenos

Enfeitiçados pelo mar que parece não ter fim.

O pescador não se importa tanto assim,

Apenas pelo mar se deixa levar

Que é amigo, companheiro...

E sua família ajuda a sustentar.


Valdelice Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Literando