segunda-feira, 1 de março de 2010

Exemplo de superação

Valter da Silva, coordenador
do Grupo Nova Esperança


Valter Evangelista da Silva, 79, é fotógrafo “lambe-lambe’’ e coordenador da irmandade de Alcoólicos Anônimos Nova Esperança de Cachoeira, que existe há mais de 20 anos. Ele foi dependente do álcool e do fumo durante muito tempo. Ao reconhecer finalmente sua dependência alcoólica, procurou ajuda nos Alcoólicos Anônimos em Salvador, onde fez os tratamentos adequados. Seu Valter, como é conhecido na cidade, começou a consumir o álcool bem jovem, por influência de companheiros de grupo. Bebia em festas, barzinhos e em encontros com amigos, às vezes chegando a amanhecer o dia na bebedeira. “Eu não sabia que o alcoolismo era uma doença traiçoeira, perversa e má’’, salienta.
Hoje, faz 49 anos que seu Valter não fuma e 20 que não ingere mais bebida alcoólica, porém afirma estar recuperado do alcoolismo, mas não curado. “O alcoolismo é igual ao diabete: não tem cura, e sim tratamento’’, declara. Ele acredita que uma pessoa pode ser considerada alcoólatra quando perde o domínio de si mesma.

Alcoolismo tem tratamento

Alcoólicos Anônimos (A.A.) é uma irmandade mundial de pessoas que trocam experiências tentando resolver o problema do alcoolismo. Foi fundada nos Estados Unidos em 1935 por um médico e um advogado, que publicaram o livro Alcoólicos Anônimos, conhecido como livro azul. Hoje existem várias ramificações desta irmandade em muitos países.
A.A. se preocupa apenas com a recuperação de indivíduos alcoólicos que procuram ajuda da irmandade, os quais são tratados no anonimato. No entanto, para que o tratamento tenha melhor eficácia é necessário que esses indivíduos reconheçam o alcoolismo como uma doença. O A.A. não é vinculado a políticos, a religião e a nenhuma instituição ou organização. Ela é uma unidade autônoma.
O álcool é uma droga muito perigosa, embora muitas pessoas não a reconheçam como tal. Ela causa prejuízo aos reflexos, à coordenação motora, à visão, à fala e à capacidade de realizar julgamentos. Muitas pessoas bebem por influências de amigos ou para ter estímulos de realizar atividades que se sentem incapazes.
O alcoolismo é segunda doença que mais mata no mundo, perdendo apenas para a cardíaca, geralmente ele é um dos principais causadores de assassinatos, brigas, acidentes de trânsito e dos suicídios.

Valdelice Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Literando